Victor Brecheret

Victor Brecheret

Sexta à noite. Status dos conversantes: tio, quase 30 anos, esgotado pós-trabalho. Sobrinho, 07 anos, pique em nível pueril.
– Quero ver você bater meu recorde!
– Que recorde, menino?
– Do meu jogo no celular, tio.
– Ah, para.
– Sério! Levei duas horas.
– Duas horas?
– Claro, é um jogo super complexo.
– Sei.
– Verdade! Tem que levar o personagem numa busca de herói.
– Tá.
– E tem que derrotar os vilões e decifrar os enigmas.
– Uhum.
– Depois, tem que escolher os caminhos certos para conquistar o nível.
– Normal.
– Normal? Eu levei duas horas! Foi um baita recorde.
– Cara, eu faço melhor em meia hora.
– Faz aí.
– Agora?
– É!
– Agora não dá.
– Tio, sabe o Victor Brecheret?
– Seu amigo da escola?
– Não, durd.
– Quem é esse cara?
– Que fez aquela escultura no Ibirapuera.
– Ah, o cara que fez o Empurra-Empurra, né?
– Chama Monumento às Bandeiras.
– Tá, sei.
– Então, ele levou 30 anos pra fazer aquela escultura.
– E daí?
– Daí que você tá dizendo que não tem 30 minutos para um joguinho? Para, né? O que são 30 minutos?
– …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *